https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/issue/feed Laplage em Revista 2020-08-09T18:13:18+00:00 Prof. Dr. Paulo Gomes Lima paulolima@ufscar.br Open Journal Systems <p>LAPLAGE EM REVISTA é um periódico eletrônico da área da educação, produzido pelo Laboratório de Estudos e Pesquisas Estado, Políticas, Planejamento, Avaliação e Gestão da Educação, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação [PPGED] e ao Departamento de Ciências Humanas e Educação da UFSCAR-Campus Sorocaba/SP. De periodicidade quadrimestral, LAPLAGE EM REVISTA, caracteriza-se como um dos eixos de difusão, provocação, produção e recorrências do conhecimento no campo da pesquisa educacional no Brasil, socializando e oportunizando espaços para o desenvolvimento da excelência acadêmica e imersão científica.</p> <p>QUALIS [2017 - 2019]:&nbsp; &nbsp;<strong>B1 - Educação</strong>&nbsp; &nbsp;&nbsp;</p> https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/928 Educação transformadora e solicitações sociais 2020-08-09T18:13:16+00:00 Paulo Gomes Lima paulolima@ufscar.br 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/936 Educação social em discussão: 2020-08-09T18:13:11+00:00 Silvia Azevedo silvia.azevedo@iscedouro.pt 2020-08-04T15:03:24+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/931 A pedagogia social: 2020-08-09T18:13:15+00:00 Maria Lopes de Azevedo maria.lopesdeazevedo@iscedouro.pt José Antonio Caride joseantonio.caride@usc.es <p>Com este artigo propõe-se partilhar uma contextualização e fundamentação teórico-histórica sobre a Pedagogia Social, realizada no âmbito de um o doutoramento interuniversitário, em Equidade e Inovação em Educação e fundamentada numa plêiade de autores de referência nesta matéria. Entendemos que para contribuir para a construção da identidade profissional do educador social se impõe compreender, por um lado a sua genealogia e, por outro os pressupostos epistemológicos que lhe conferem sustentabilidade &nbsp;Ora, vivendo-se, hoje, tempos incertos que, por consequência, &nbsp;reclamam e convocam a todos no sentido de se poderem mitigar, impõem-se-nos encontrar respostas aos desafios, decorrentes destas incertezas, dando particular ênfase&nbsp; a todas as formas de educação por isso, a necessidade de se conhecer as (pre)ocupações da &nbsp;pedagogia social na sociedade atual.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/929 A (in)certeza das alomorfias socioeducativas 2020-08-09T18:13:16+00:00 Sílvia Azevedo silvia.azevedo@iscedouro.pt Fátima Correia fatimacorreia@ese.ipp.pt <p>O atual artigo exibe novos pressupostos socioeducativos e pedagógicos, patenteando a colaboração da Educação Social como uma alomorfia em contextos de máximo risco coletivo. Em Portugal, o trabalho com os grupos sociais mais vulneráveis e expostos ao risco, independentemente do seu espetro social, económico ou cultural, não tem tido por base uma estável interferência sociopedagógica, ainda mais num momento de alta instabilidade social como a que se vive hoje em tempos de pandemia COVID19.&nbsp; A Educação Social, mais do que nunca, tem de anteferir a transformação e a integração dos que ficam íntimos da exclusão. Necessitamos de um modelo social e educativo forte e diligente, capaz de evitar percursos de risco coletivo, para que os efeitos da pandemia sejam minimizados e se consigam criar medidas de desenvolvimento e reconversão profissional, onde a Educação Social é um instrumento integrativo.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/932 As narrativas dos educadores sociais: 2020-08-09T18:13:14+00:00 Evangelina Bonifácio evangelina@ipb.pt Isabel Baptista ibaptista@porto.ucp.pt <p>Este texto agora apresentado constitui-se como o resultado de um estudo realizado junto de um grupo de educadores sociais portugueses, em que se procurou aferir a forma como estes profissionais da intervenção socioeducativa percecionam, conceptualizam e verbalizam os problemas e os dilemas éticos emergentes do seu quotidiano profissional. Para este efeito, recorremos a uma estratégia de investigação qualitativa assente na recolha de narrativas produzidas por estes profissionais, em alinhamento com os pressupostos de natureza concetual e metodológicos trabalhados no âmbito do Projeto Europeu de Ética Social, que evidenciou uma conceção de ética prática de natureza eminentemente relacional. Tal como será sublinhado, os resultados evidenciam necessidades de formação ético-deontológica específicas, acentuando, em particular, as exigências de deliberação prática.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/935 Educação social e aprendizagem e serviço (ApS): 2020-08-09T18:13:12+00:00 Marta Abelha mabelha@upt.pt Sandra Fernandes sandraf@upt.pt Isabel Cerca Miguel isabelm@upt.pt Edgar Sousa edgarsousap@icloud.com <p>A Aprendizagem e Serviço (ApS) constitui uma forma de educação experiencial que combina objetivos de aprendizagem com o serviço na/com a comunidade. Este artigo apresenta uma experiência de ApS que decorreu numa IES privada, em Portugal. Os participantes no estudo são estudantes do 2ºano da Licenciatura em Educação Social. O projeto integrou três unidades curriculares: i) Planeamento, Gestão e Avaliação de Projetos Sociais; ii) Mediação Educacional; iii) Psicologia Social. A experiência ApS também envolveu um parceiro da comunidade local, onde os estudantes implementaram as suas atividades. Os resultados da avaliação da experiência, partindo do feedback recolhido junto dos estudantes, professores e membros da comunidade, revelam um balanço positivo das potencialidades desta nova abordagem educacional, destacando-se a participação e o envolvimento ativo dos estudantes, a articulação entre a teoria e a prática e o desenvolvimento de competências como o trabalho em equipa, a reflexão crítica e o compromisso social e ético.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/933 A diversificação da sociedade e a mediação intercultural como pedagogia social: 2020-08-09T18:13:13+00:00 José Carlos Laranjo Marques jose.marques@ipleiria.pt Ana Maria de Sousa Neves Vieira ana.vieira@ipleiria.pt Ricardo Manuel das Neves Vieira ricardo.vieira@ipleiria.pt <p>A integração das populações imigrantes e das minorias étnicas nas sociedades nacionais constitui um desafio importante e decisivo de diferentes países. As soluções apresentadas para acolher as várias e, por vezes, contraditórias, dimensões do processo de integração têm originado o desenvolvimento de diferentes ‘modelos de integração’ que não deixam de refletir os desenvolvimentos nas políticas e práticas de integração dos imigrantes registadas a nível internacional. Através da análise da realidade portuguesa será evidenciada a progressiva adoção de políticas de integração assentes nos princípios e nas práticas de mediação intercultural como pedagogia social. Discute-se o surgimento e o desenvolvimento da interculturalidade, faz-se a descrição da imigração em Portugal e, de seguida, a integração das comunidades imigrantes no país. Na parte final é analisada, particularmente, a mediação intercultural como pedagogia social para o acolhimento e autonomização na promoção de sociedades assentes no interconhecimento das suas diferentes partes constituintes.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/930 A mediação socioeducativa no acolhimento familiar na perspetiva da educação social 2020-08-09T18:13:15+00:00 Paulo Delgado pdelgado@ese.ipp.pt Rachel Baptista rachelbta@gmail.com <p>Este artigo descreve e analisa o papel do profissional atuante no Serviço de Acolhimento Familiar na singularidade cultural e social do contexto luso brasileiro. É seu intento responder ao desafio de evidenciar o perfil desta intervenção/mediação socioeducativa e cultural baseada na Educação Social. Além disso, descortinar saberes, emoções, exigências e os tipos de cuidados que o acolhimento familiar coloca. Esta reflexão crítica se baseia na análise de documentos políticos e institucionais, e de um conjunto de artigos, teses ou manuais que resultaram da investigação científica realizada em ambos países. Neles se destaca um conjunto de testemunhos de crianças, acolhedores, famílias e profissionais, que procuram dar voz a quem vive o acolhimento familiar. São trazidas reflexões também pautadas na experiência prática dos autores. Entre os principais resultados estão a necessidade de aprimoramento técnico específico e a construção de um modelo mediativo onde o profissional possa dar conta do contexto em questão.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/934 Educadores sociais: 2020-08-09T18:13:13+00:00 Maria José Araújo mjose@ese.ipp.pt <p>A evolução dos sistemas educativos em torno do tempo livre das crianças e jovens tem normalmente como quadro de referência a escola e o “sucesso escolar”. Uma primeira reflexão sobre esta questão prende-se com a ideia de que educação é igual a escola, uma ideia de senso comum que limita a prática socioeducativa na medida em que reduz o quotidiano das crianças à prática de escolarização formal. Uma segunda reflexão prende-se com as representações sociais sobre o significado das atividades de lazer no tempo livre e sobre a forma como essas atividades são proporcionadas às crianças. O desafio, neste texto, foi: i) considerar as crianças como atores sociais competentes, capazes de contribuir, gerir e propor criativamente formas interessantes de organizar os seus tempos e espaços; ii) pensar os educadores sociais como profissionais de tempo livre capazes de desenvolver atividades e brincadeiras, em colaboração com as crianças.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/925 Construção de material didático integrado ao currículo da alfabetização para estimulação da consciência fonológica 2020-08-09T18:13:18+00:00 Cecília Cristina Cesar Leopoldo Lopes cecilialeopoldo@hotmail.com Gildene do Ouro Lopes Silva gildene.lopes@ucb.org.br <p>Este estudo descreve o processo de construção de material didático integrado ao currículo da alfabetização para estimulação da consciência fonológica. A pesquisa é de natureza qualitativa, com análise de dados de base interpretativa desenvolvida em três etapas: levantamento e análise bibliográfica/documental; criação e adaptação das atividades integradas de estimulação da consciência fonológica; e elaboração da estrutura do material didático. A partir dos dados analisados na primeira etapa, elaborou-se uma matriz de referência para a integração entre os elementos constitutivos do referido material, que, articulada aos recursos lúdicos adotados, guiaram a criação e adaptação das tarefas fonológicas. A estrutura do material pretende atender os cinco níveis de consciência fonológica propostos no estudo. Destaca-se o potencial desse material em função da metodologia integradora com a Base Nacional Comum Curricular na perspectiva de auxiliar o professor em relação à mediação da estimulação da consciência fonológica no contexto de conhecimentos e habilidades da alfabetização.</p> 2020-07-24T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/921 Um novo olhar sobre um instrumento de medição do perfil empreendedor 2020-08-09T18:13:18+00:00 Valdemir José Máximo Omena da Silva valdemiromena@ifma.edu.br Silvana Neumman Martins smartins@universo.univates.br Kári Lúcia Forneck kari@univates.br Patrick Alves Vizzotto patrick.fisica@hotmail.com Sarah Patrícia Aguiar e Silva Omena sarahomena@ifma.edu.br <p>Este estudo tem por objetivo redimensionar um instrumento de pesquisa criado pelo Sebrae que permite identificar o perfil empreendedor do indivíduo, constituído por 85 afirmativas, que versam sobre características do empreendedor. O seu tamanho pode inviabilizar a aplicação, pois requer muito tempo para responder, possibilitando a fadiga dos respondentes. A proposta foi reduzi-lo por meio de técnicas estatísticas, sem que sua validade, confiabilidade e poder de medida fossem prejudicados. Para isso, um teste-piloto foi realizado com alunos da disciplina de empreendedorismo de uma Universidade comunitária do Rio Grande do Sul. Como resultado, obteve-se um instrumento reduzido com 34 afirmativas, mantendo semelhantes os índices de validação do instrumento original. Espera-se que o questionário reduzido contribua com docentes, pesquisadores e profissionais de variadas áreas, auxiliando-os na apresentação de diagnósticos sobre o perfil do empreendedor no contexto brasileiro.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/922 Ensino, aprendizagem e avaliação no contexto da pandemia: 2020-08-09T18:13:17+00:00 Carlos Alberto Ferreira caferreira@utad.pt Ana Maria Bastos abastos@utad.pt <p>A pandemia da COVID-19 obrigou a que se passasse do ensino presencial para o ensino a distância, nomeadamente na formação inicial de professores. Foi criada uma outra forma de ensino, de aprendizagem e de avaliação dos estudantes, com o recurso a ferramentas tecnológicas. Neste contexto, questionámos as percepções de professores dos cursos de formação inicial de professores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) sobre o ensino, a aprendizagem e avaliação dos estudantes no contexto do ensino a distância. Para respondermos a esta questão, administrámos um questionário, com questões fechadas, aos referidos professores. Dos dados recolhidos e analisados, pudemos verificar que, para os professores, o ensino era realizado através de aulas síncronas e de momentos de interação assíncronos nas redes sociais, no qual o trabalho e aprendizagem autónomos dos estudantes assumiam um papel relevante. Ainda para os professores, a avaliação formativa mais estruturada era estimulada com o ensino a distância.</p> 2020-08-02T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/937 Laplage em Revista, vol.6, n.3, set.- dez. 2020 2020-08-04T17:56:50+00:00 Silvia Azevedo silvia.azevedo@iscedouro.pt 2020-08-04T17:53:08+00:00 ##submission.copyrightStatement##