Educação infantil e educação especial: desafios para as políticas de formação docente

Fernanda Cristina de Souza, Rosângela Gavioli Prieto

Resumo


A presente produção analisa a formação docente na articulação com os campos da educação infantil e  educação especial a partir de documentos legais e de orientação técnica, elaborados pelo Ministério da Educação do Brasil. A discussão será fundamentada pela análise documental, à luz dos pressupostos gramscianos sobre Estado ampliado, na intenção de fortalecer o debate sobre a configuração das políticas educacionais no Brasil. As conclusões acenam que a concepção de educação especial, entendida como modalidade transversal aos níveis e demais modalidades de ensino, tem contribuído para os debates em torno do direito das crianças com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação à educação infantil. No entanto, os programas de formação inicial e continuada dos docentes para a atuação no atendimento educacional especializado não têm levado em conta as especificidades da primeira etapa da educação básica.


Palavras-chave


Formação de professores. Educação infantil. Educação especial. Políticas Educacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ARELARO, L. R. Avaliação das políticas de educação infantil no Brasil: avanços e retrocessos. Revista zero-a-seis, v. 19, n. 36, p. 206-222, jul./dez. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2017v19n36p206/35615. Acesso em: 2 fev. 2018.

BRASIL. Congresso Nacional. Emenda Constitucional n. 95, de 15 de dezembro de 2016. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 16 dez. 2016a. Seção 1, p. 2. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm. Acesso em: 2 fev. 2018.

BRASIL. Congresso Nacional. Emenda Constitucional n° 53, de 19 de dezembro de 2006. Dá nova redação aos arts. 7º, 23, 30, 206, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e ao art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 dez. 2006a, p. 5. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc53.htm. Acesso em: 4 mai. 2014.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 05 mai. 2000. Seção 1, p. 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LCP/Lcp101.htm. Acesso em: 2 fev. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara da Educação Básica. Parecer n° 20, de 11 de novembro de 2009. Revisão das diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Diário Oficial da União, 9 dez. 2009b, seção 1, p. 14. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb020_09.pdf. Acesso em: 2 fev. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução n° 1, de 15 de maio de 2006. Institui diretrizes curriculares nacionais para o curso de graduação em Pedagogia, licenciatura. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 30 jul. 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica. Resolução n° 4, de 2 de outubro de 2009a. Institui Diretrizes operacionais para o atendimento educacional especializado na educação básica, modalidade educação especial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 2009a, seção 1, p. 17. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 4 mai. 2014.

BRASIL. Decreto n. 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 nov. 2011, p. 12. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm. Acesso em: 10 mar. 2015.

BRASIL. Decreto n° 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção sobre os Direitos das pessoas com deficiência e seu protocolo facultativo, assinados em Nova York, em 30/03/2007. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 ago. 2009c, p. 3. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm. Acesso em: 10 mar. 2015.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório do segundo ciclo de monitoramento metas do PNE. Brasília Distrito, DF: INEP, 2018. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485745/RELAT%C3%93RIO+DO+SEGUNDO+CICLO+DE+MONITORAMENTO+DAS+METAS+DO+PNE+2018/9a039877-34a5-4e6a-bcfd-ce93936d7e60?version=1.17. Acesso em: 10 mar. 2015.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jul. 1990, p. 13.563, retificação 27 set. 1990, p. 18. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm. Acesso em 20 out. 2018.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996a. Seção 1, p. 27833. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em 20 out. 2018.

BRASIL. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o plano nacional de educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Edição extra, p. 1, 26 jun. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm. Acesso em 20 out. 2018.

BRASIL. Lei nº 11.494 de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei n° 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis n° 9.424, de 24 de dezembro de 1996, 10.880, de 9 de junho de 2004, e 10.845, de 5 de março de 2004; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 jun. 2007, Seção 1, p. 7. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11494.htm. Acesso em 20 out. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.424 de 24 de dezembro de 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, na forma prevista no art. 60, § 7º, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 dez. 1996b. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1996/lei-9424-24-dezembro-1996-365371-normaatualizada-pl.pdf. Acesso em 20 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2014-pdf/16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014. Acesso em 20 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Diretoria de Políticas de Educação Especial. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Nota técnica conjunta n.º 2, de 4 de agosto de 2015. Orientações para a organização e oferta do atendimento educacional especializado na educação infantil. Brasília: MEC, Secadi, DPEE – SEB/DICEI, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=18047-ntc-02-orientacoes-para-organizacao-oferta-do-aee-na-educacao-infantil&category_slug=agosto-2015-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 18 out. 2015.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 05 out. 1988. Seção 1, p. 1. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

CAIADO, K. R. M. Quando as pessoas com deficiência começam a falar: histórias de resistência e lutas. In: JESUS, D. M.; BAPTISTA, C. R.; BARRETO, M. A. S. C.; VICTOR, S. L. (Orgs.). Inclusão práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2007.

CAMPOS, M. M.; FÜLLGRAF, J.; WIGGERS, V. A qualidade da educação infantil brasileira: alguns resultados de pesquisa. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 127, p. 87–128, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n127/a0536127.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

CAMPOS, R.; CAMPOS, R F. A educação das crianças pequenas como estratégia para o “alívio” da pobreza. Inter-Ação, Goiania, v. 33 (2), p. 241-263, jul./dez. 2008. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/view/5265/4669. Acesso em: 18 out. 2018.

CARDOSO, B. A. A.; CUNHA, E. B. J. Preconceitos a serem demolidos superando a patologização das diferenças: os comprometimentos fisiológicos impedem a produção das culturas infantis? In: FARIA, A. L. G. de; MELLO, S. A. Territórios da infância: linguagens, tempos e relações para uma pedagogia para as crianças pequenas. Araraquara: Junqueira & Marin, 2009.

CERISARA, A. B. Educar e cuidar: por onde anda a educação infantil? Perspectiva. Florianópolis, v. 17, n. Especial, p. 11-21, jul./dez. 1999. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/viewFile/10539/10082. Acesso em: 18 out. 2018.

CORREA, B. C. Políticas de educação infantil no Brasil: ensaio sobre os desafios para a concretização de um direito. Jornal de Políticas Educacionais, Curitiba, n. 9, p. 20-29, jan./jun. 2011. Disponível em: http://www.jpe.ufpr.br/n9_3.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

FRANÇA, M. G. Financiamento da educação especial: complexas tramas, permanentes contradições e novos desafios. 2016. 364 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16032015-152608/publico/MARILEIDE_GONCALVES_FRANCA_rev.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. v. 3 Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2000.

KASSAR, M. de C. M. Percursos da constituição de uma política de educação especial inclusiva. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 17, Edição Especial, p. 41-58, mai./ago. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbee/v17nspe1/05.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

KISHIMOTO, T. M. Brinquedos e materiais pedagógicos nas escolas infantis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 2, jul./dez. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v27n2/a03v27n2.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

KISHIMOTO, T. M. Escolarização e brincadeiras na educação infantil. In: SOUSA, C. P. de (Org.). História da educação: processos, práticas e saberes. São Paulo: Escrituras Editora, 1998.

LIGUORI, G. Roteiros para Gramsci. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

MANCEBO, D. Crise político-econômica no Brasil: breve análise da educação superior. Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 141, p. 875-892, out./dez. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v38n141/1678-4626-es-es0101-73302017176927.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.

MELO, A. A. S. de. Os organismos internacionais na condução de um novo bloco histórico. In: NEVES, M. W. (Org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

MENDES, E. G. Inclusão marco zero: começando pelas creches. Campinas: Autores Associados, 2010.

MICHELS, M. H. Formação de professores para a educação especial no Brasil: apresentando sua própria história. In: MICHELS, M. H. (Org.). A formação de professores de educação especial no Brasil: propostas em questão. Florianópolis: UFSC/CED/NUP, 2017.

MICHELS, M. H. O que há de novo na formação de professores para a educação especial? Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 24, n.40, p. 219-232, mai./ago. 2011. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/viewFile/2668/2440. Acesso em: 18 out. 2018.

PERONI, V. M. V. Política educacional e papel do Estado no Brasil nos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.

SANTOS, F. A. Por uma concepção materialista de política educacional: contribuições de Antonio Gramsci. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 9, n. 2, p. 443-460, jul./dez. 2014. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/viewFile/6047/4057. Acesso em: 18 out. 2018.

SOUZA, F. C. de S. Educação infantil, educação especial e planos nacionais de educação no Brasil pós 1990. 2018. 217 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2018.

SOUZA, F. C. de; RIBEIRO, R. da S.; PRIETO, R. G. Formação de professores da educação infantil: desafios para a inclusão escolar. In: MILITÃO, A. N.; SANTANA, M. S. R. (Org.). Intersecções entre pesquisas/pesquisadores experientes e pesquisas/pesquisadores iniciantes no campo educacional. São Carlos: Editora Pedro e João, 2016.




DOI: https://doi.org/10.24115/S2446-622020184especial592p.148-161

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

Esta obra está licenciado com uma Licença CreativeCommons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

ISSN:2446-6220

Indexadores/Indexing

 SEER - Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas *Google Acadêmico * Worldcat - Laplage em Revista * Diadorim * DOAJLatindex *Journal TOCS  *Livre - Revistas de Acesso Livre *Sumarios.org  *Portal de Periódicos CAPES/MEC *Open Academic Journal Index - OAJI *BASE - Bielefeld Academic Research Engine *Portal de Periódicos da UFSCAR *REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) *MIAR- Information Matrix for the Analysis of Journals *Catálogo Colectivo do Reino Unido (COPAC) *ZDB - Catálogo Coletivo (Alemanha) *SHERPA ROMEO - Open Acess to research *Ulrichweb Global Serials Directory *RCAAP -Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal *ERIH PLUS - European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences *ROAD - Directory of Open Acess Schorlay Resources *ISSN - International Standard Serial Number  (international Centre) - CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - Clarivate Analytics (WEB OF SCIENCE)- Edubase (SBU/UNICAMP) - IRESIE - REDALYC