Jogos educativos africanos da família mancala: um caminho para ensinar e aprender matemática

Gláucia Bomfim Barbosa Barreto, Ana Maria Freitas Teixeira

Resumo


O texto tem como objetivo discutir a importância da utilização dos jogos educativos africanos da família Mancala como relevante recurso pedagógico para o ensino e aprendizagem da matemática. Mediante uma detalhada revisão da literatura sobre o tema apresentamos uma análise sobre a utilização desses jogos destacando diferentes experiências, na perspectiva de refletir sobre a utilização de metodologias de ensino de Matemática que possam otimizar os processos de aprendizagem dessa disciplina através de estratégias que articulem o raciocínio matemático e a dimensão lúdica, dinâmica e interativa do aprender. Consideramos, igualmente, as orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais ao indicarem que as atividades com jogos podem representar um importante recurso pedagógico estimulando, também, uma mudança da postura do professor quanto ao ensinar matemática.


Palavras-chave


Ensino de matemática. Jogos educativos africanos. Jogos da família Mancala.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, C. (1998). Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. Rio de Janeiro: Vozes.

AUSUBEL, D. P., NOVAK, J. D., HANESIAN, H. EducationalPsychology: a cognitiveview. New York, USA: Holt, Rinenhartand Winston, 1978.

BRANDÃO, Ana Paula (Cord.). Saberes e fazeres: modos de interagir. V.3, coordenadora Ana Paula Brandão, Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. 17º edição – São Paulo: brasiliense, 1986.

BRASIL (2003). Lei no 10.639, de nove de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira no currículo oficial da rede de ensino. Brasília: Diário Oficial da União.

BRASIL (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº. 9394 20 de novembro de 1996. Brasília: Diário Oficial da União.

CHAUTEAU, J. O Jogo e a Criança. Tradução Guido de Almeida. São Paulo: Summus Editorial, 1987. 139 p.

COMENIUS, J.A. Didática Magna. Tradução Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1997. 390 p.

D'AMBROSIO, U. Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Ática,1990. 88p.

D'AMBROSIO, U. Educação Matemática: da teoria à prática. Campinas: Papirus, 1996. 121p.

DIAS, Letícia Pires, A construção do conhecimento em crianças com dificuldades em matemática utilizando o jogo de regras Mancala. Dissertação de mestrado, Campinas/SP, 2009.

FANTIN, M. (2000). No mundo da brincadeira: jogo, brinquedo e cultura na Educação Infantil. Florianópolis: Cidade Futura.

GRANDO, Regina Célia. O jogo e a matemática no contexto da sala de aula – São Paulo: Paullus, 2004. – (Coleção pedagogia e educação).

GRANDO, R. C. O Jogo na Educação: aspectos didático-metodológicos do jogo na educação matemática. UNICAMP, 2001.

GRANDO, R. C. (2000). O conhecimento matemático e o uso de jogos na sala de aula. Tese doutorado, UNICAMP, Campinas.

GRANDO, R. C. O jogo e suas Possibilidades Metodológicas no Processo Ensino Aprendizagem da Matemática. Campinas, SP, 1995. 175p. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação, UNICAMP.

GUZMÁN, M. Aventuras Matemáticas. Barcelona: Labor, 1986.

HUIZINGA, J. (2000). Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. (4a. ed.). São Paulo: Perspectiva.

KISHIMOTO, T. M. (1992). O jogo, a criança e a educação. Tese de Livre Docência. São Paulo: FEUSP.

KISHIMOTO, T. M. (1994). O jogo e a educação infantil. São Paulo: Livraria Pioneira Editora.

KRAEMER, M. L. Jogando e aprendendo a redigir com criatividade – São Paulo: Paullus, 2008. Coleção Atividades pedagógicas.

MEC – Ministério da Educação – Secretaria de Educação Fundamental - PCN’s Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998

MOURA, A. R. L. A Medida e a Criança Pré-Escolar. Campinas, SP, 1995. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação, UNICAMP.

PETTY, A. L. S. Ensaio sobre o Valor Pedagógico dos Jogos de Regras: uma perspectivaconstrutivista. São Paulo, SP, 1995. 133p. Dissertação de Mestrado. Instituto de Psicologia,USP.

PIAGET, J. Psychopédagogieetmentalitéenfantine. Journal de PsychologieNormaleetPathologique. ano 25, 1928.

RÊGO, R. G. RÊGO, R. M.. Matemática. 3ª ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

RIZZO, G. (1996). Jogos Inteligentes: a construção do raciocínio na escola natural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

SANTOS, F. M. T dos & GRECA, I. M. (org.). A pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil e suas Metodologias. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006. – 440 p. – (Coleção educação em Ciências).

SANTOS, C. J. (2008a). Africanidades no ensino de matemática: um estudo de caso da família Mancala. São Paulo: UTP.

SANTOS, C. J. (2008b). Jogos africanos e a educação matemática: semeando com a família Mancala. Maringá: Secretaria de Estado da Educação.

SILVA, Veleida Anahí Da. Por que e para que aprender a matemática. São Paulo: Cortez, 2009.

SILVA, A. F., Kodama, H. M. Y. Jogos no ensino da Matemática. In. II Bienal da Sociedade Brasileira de Matemática, UFBA, 2004.

VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. 4. ed. Tradução José Cipolla Neto e outros. São Paulo: Martins Fontes, 1991. 168p.

ZASLAVSKY, Cláudia. Jogos e atividades matemáticas do mundo inteiro.




DOI: https://doi.org/10.24115/S2446-622020162159p.146-153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

Esta obra está licenciado com uma Licença CreativeCommons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

ISSN:2446-6220

Indexadores/Indexing

 SEER - Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas *Google Acadêmico * Worldcat - Laplage em Revista * Diadorim * DOAJLatindex *Journal TOCS  *Livre - Revistas de Acesso Livre *Sumarios.org  *Portal de Periódicos CAPES/MEC *Open Academic Journal Index - OAJI *BASE - Bielefeld Academic Research Engine *Portal de Periódicos da UFSCAR *REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) *MIAR- Information Matrix for the Analysis of Journals *Catálogo Colectivo do Reino Unido (COPAC) *ZDB - Catálogo Coletivo (Alemanha) *SHERPA ROMEO - Open Acess to research *Ulrichweb Global Serials Directory *RCAAP -Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal *ERIH PLUS - European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences *ROAD - Directory of Open Acess Schorlay Resources *ISSN - International Standard Serial Number  (international Centre) - CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - Clarivate Analytics (WEB OF SCIENCE)- Edubase (SBU/UNICAMP) - IRESIE - REDALYC