Valorização docente do professor alfabetizador em Dourados – MS

Flávia Paula Nogueira Aranda, Fabio Perboni, Elizangela Tiago da Maia

Resumo


O presente texto parte de dados empiricos coletados em pesquisa que abordou a temática da valorização docente no município de Dourados (MS). O conceito de valorização docente abarca ao menos quatro aspectos, o salário, a carreira, as condições de trabalho e a formação. Pautado por uma metodologia que se utilizou de pesquisa bibliográfica e documental este artigo apresentamos um recorte com foco nos professores alfabetizadores. Analisamos em que medida existem práticas de valorização para este segmento do magistério, historicamente pouco prestigiado pelas políticas educacionais. Observamos que existem no município ao menos duas medidas específicas para esse segmento. A primeira mais pontual, propicia aos docentes do primeiro e segundo ano do ensino fundamental um adicional de 10% sobre o salário inicial. A segunda, decorrente da indução do governo federal por meio do PNAIC, se constitui em experiencia significativa de valorização docente por criar condições de formação específica sobre processo alfabetizador.


Palavras-chave


Valorização docente. Professor alfabetizador. Planejamento educacional.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. Políticas de valorização do trabalho docente no Brasil: algumas questões. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, RJ, vol.23, n.86, jan./mar.2015.p.213-230.

ARANDA, F. P. N. A Valorização Docente na Formulação do Plano Municipal de Dourados (PME 2015-2025). 2018. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal da Grande Dourados UFGD, 2018.

BARRETO, E. S. de S. Políticas de formação docente para a educação básica no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 20 n. 62 jul.-set. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v20n62/1413-2478-rbedu-20-62-0679.pdf. Acesso em: 26 jul.2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 30. ed. atual. São Paulo: Atlas, 2009.

BRASIL. Lei Nº 9.394de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 23 jan.2018.

BRASIL. Resolução N.º 2 de 28 de maio de 2009. Fixa as Diretrizes Nacionais para os Planos de Carreira e Remuneração dos profissionais do magistério da Educação Básica Pública. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 07 out.2016.

BRASIL. Lei Nº 13.005de 25 de junho de 2014 . Plano Nacional de Educação. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/conhecendo-o-pne. Acesso em: 26 fev.2017.

BRZEZINSKI, I. Pedagogia, pedagogos e formação de professores. Campinas: Papiros, 1996.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008 (Coleção Sociologia).

DEMO, P. A política educacional no contexto das políticas públicas no Brasil. In: Políticas Públicas & Educação. Brasília: INEP; São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Campinas: UNICAMP, 1987, p. 73-76.

DUARTE, A. W. B.; OLIVEIRA, D. A. Valorização Profissional Docente nos sistemas de ensino de Minas Gerais e Pernambuco. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v.10,n.17,p.67-97.jul-dez 2014.

FREITAS, H. C. L. de. PNE e formação de professores: contradições e desafios. Revista Retratos da Escola, Brasília, v.8, n.15, p.427-446, jul-dez 2014.

GADELHA, M. J. Formação e valorização dos profissionais do ensino: algumas considerações. In: Magna França (org). Sistema Nacional de Educação e o PNE. Brasília: Liber Livro, 2009. UFRN. p.173-190.

GATTI, B. A. Reconhecimento social e a políticas de carreira docente na Educação Básica.Cadernos de pesquisa. São Paulo.V.42. n.145.p.88-111.janabr.2012.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

INEP/MEC. Resumo técnico do Censo da Educação Superior. 2016. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/resumos_tecnicos/resumo_tecnico_censo_educacao_basica_2013.pdf. Acesso em: 05 maio 2017.

LEHER, R. Valorização do Magistério. In: Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente (GESTRADO). Belo Horizonte, MG, 2011. Disponível em: http://www.gestrado.net.br/?pg=dicionario-verbetes&id=430. Acesso em: 09 jan.2017.

LINS, C. P. D. A Função do Coordenador Pedagógico na Implementação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa em Escolas da Rede Municipal de Ensino de Dourados/MS (2012-2017).2018.189 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal da Grande Dourados UFGD, 2018.

MAIA, E. T. Mediadores e Práticas de Leitura Literária: um estudo do acervo PNBE 2011. 2014. 150 f. Dissertação (Mestrado em Letras, área de concentração: Literatura e Práticas Culturais). Universidade Federal da Grande Dourados, UFGD, 2014.

MELLO, G. N. de. Formação inicial de professores para a Educação Básica: uma (re) visão radical. São PauloPerspec. vol.14 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2000. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.

MILITÃO, A. N.; PERBONI, F.; MILITÃO, S. C. N. A formação de professores na agenda dos movimentos sociais da I CONAE ao II PNE. p.77-98. In:. LEITE, Y. U. F.; MILITÃO, S. C. N.; LIMA, V. M. M. (Orgs.). Políticas educacionais e qualidade da escola pública. 1ª.ed. Curitiba: CRV, 2013.

MONLEVADE, J. A. C. de. Valorização Salarial dos professores: o papel do piso salarial profissional nacional como instrumento de valorização dos professores da educação pública básica. Tese de Doutorado. Campinas-SP, 2000.p.307.

ROCHA, L. F. M.; BARUFFI, A. M. . Formação continuada de professores: programas do MEC em redes escolares municipais. In: FREITAS, D. N. T. de; REAL, G. C. M. Políticas de monitoramento da qualidade do ensino fundamental: cenários municipais. Dourados: Ed. UFGD, 2011. p. 247-295.

SACRISTÁN, J. G.; GOMEZ, A. I. P. Compreender e transformar o ensino. (Ernani. F. da Fonseca Rosa, trad.) p. 13-26. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SCHEIBE, L. Valorização e formação dos professores para a educação básica: questões desafiadoras para um novo Plano Nacional de Educação. Educ. Soc., Set 2010, vol.31, n.112, p.981-1000.




DOI: https://doi.org/10.24115/S2446-6220201842476p.101-113

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

Esta obra está licenciado com uma Licença CreativeCommons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

ISSN:2446-6220

Indexadores/Indexing

 SEER - Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas *Google Acadêmico * Worldcat - Laplage em Revista * Diadorim * DOAJLatindex *Journal TOCS  *Livre - Revistas de Acesso Livre *Sumarios.org  *Portal de Periódicos CAPES/MEC *Open Academic Journal Index - OAJI *BASE - Bielefeld Academic Research Engine *Portal de Periódicos da UFSCAR *REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) *MIAR- Information Matrix for the Analysis of Journals *Catálogo Colectivo do Reino Unido (COPAC) *ZDB - Catálogo Coletivo (Alemanha) *SHERPA ROMEO - Open Acess to research *Ulrichweb Global Serials Directory *RCAAP -Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal *ERIH PLUS - European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences *ROAD - Directory of Open Acess Schorlay Resources *ISSN - International Standard Serial Number  (international Centre) - CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - Clarivate Analytics (WEB OF SCIENCE)- Edubase (SBU/UNICAMP) - IRESIE - REDALYC