Para uma metacrítica da organização escolar

Maria João Cardoso Carvalho, José Viegas Brás, Maria Neves Leal Gonçalves

Resumo


Este artigo centra-se na problematização do modo de organização das escolas e da sua relação com a racionalidade instrumental, que o Estado adota na sua tomada de decisão, na tentativa de evidenciarmos os fenómenos que expressam uma suposta neutralidade e uma naturalização que as ideologias neoliberais preconizam. O objectivo deste trabalho é proceder a  uma Crítica do pensamento crítico à qualidade da Organização Escolar. Nesta abordagem fizemos da Teoria Crítica uma categoria teórica para a análise das organizações escolares. Elegemos a Escola de Frankfurt, para discutir e refletir sobre outros modos, ou outras lógicas de representar e perspetivar, no caso, a organização escolar. Como conclusão podemos destacar o contributo da Teoria Crítica para a reinvenção da organização escolar.


Palavras-chave


Educação, Escola, Políticas Educacionais, Políticas Públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. Minima Moralia. Lisboa: Edições 70. 2001,

ADORNO, T; HORKHEIMER, M. Dialéctica del Iluminismo. Buenos Aires: Ed. Sur. 1971.

APPLE, M. Educação e Poder. Porto Alegre: Artes Médicas. 1999

APPLE, M. Política Cultural e Educação. São Paulo: Editora Cortez. 2000

BARTHES, R. O prazer do texto. – Lisboa: Edições 70. 1997.

BERNSTEIN, B. Pedagogy, symbolic control and identity: Theory, research, critique (revised edition). Londres: Rowman & Littlefield. 2000.

BOURDIEU P.; PASSERON J.-C. A Reprodução: Elementos para uma Teoria do Sistema de Ensino. Lisboa: Ed. Vega. s.d.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. A reprodução – elementos para uma teoría do sistema de ensino. Lisboa: Editora Vega, (s.d.).

BOURDIEU. P. O Poder simbólico. Lisboa: Difel.1989.

CANTISTA. M. J. Racionalismo em Crise. Porto: Porto Civilização Editora. 1984.

CARVALHO, M. J. Os poderes e a Escola. Santo Tirso: De Facto Editores. 2014.

CHARTIER, R. Histoire de la lecture dans le monde occidental. Paris: Éditions du Seuil.1999.

COSTA, L. D. Culturas e Escola. Lisboa: Livros Horizonte. 1997.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente. Lisboa: Escher. 1992

FOUCAULT, M. O que é um autor. Alpiarça: Veja Passagens. 2000.

FREIRE, P. A pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1987.

GIRÓN, Á. Irracionalidad de la Racionalidad Posmoderna. Una Lectura de la ‘Dialéctica de la Ilustración’ de Horkheimer e Adorno”. Miscelánea, Madrid, v.59, p. 23. 2001.

GIROUX, H. Teoria Crítica e resistência em Educação. Para além das teorias. Petrópolis: Ed. Vozes. 1986

HABERMAS, J. A ética da discussão e a questão da verdade. São Paulo: WMF Martins Fontes. 2013

HEGEL, F. Fenomenología do Espírito. S. Paulo: Petropolis. 1992 [1807].

HORKHEIMER, M. Critica de la Razón Instrumental. Buenos Aires, Ed. Sur. 1973.

HORKHEIMER, M.; ADORNO, T. Dialéctica de la Ilustración. Fragmentos Filosóficos. Madrid: Ed. Trotta. 1998.

JESUS, S. Motivação e formação de professores. Coimbra: Quarteto Editora. s.d.

LIMA, L. A escola como organizaçao educativa. S. Paulo. Cortez Editora. 2001.

MAAR, W. Educação crítica, formação cultural e emancipalção política na Escola de Frankfurt. In: PUCCI, B. (Org.). Teoria crítica e educação. Petropólis:Vozes. 1995.

MARCUSE, H. A Ideologia da Sociedade Industrial. O Homem Unidimensional. Rio de Janeiro:Zahar Editorial. s.d

MARDONES, J. Dialéctica e Sociedad Irracional. La Teoria Crítica de M. Horkeimer. Bilbao: Mensajero. 1979.

MATTELARD, A., MATTELARD, M. História das Teorias de Comunicação. Porto: Campo de Letras Editores. 1997.

McCARTHY. T. Ideales e Ilusiones. Reconstrucción en la Teoría Crítica Contemporánea. Madrid: Editorial Tecnos. 1992.

MCLAREN, P. Critical pedagogy and predatory culture: Oppositional politics in a postmodern era. London and New York: Routledge. 1995.

MIKHAIL, B. Estética da Criação Verbal. SP: Martins Fontes. 2010.

MUÑOZ, B. Theodor W. Adorno: Teoria Crítica e Cultura de Masas. Madrid: Fundamentos. 2000.

NÒVOA, A. (Org.). As organizações escolares. Lisboa: D. Quixote. 1992.

NÓVOA, A. Os professores: Quem são? De onde vêm? Para onde vão? Lisboa: ISEFUTL. 1989.

OLIVEIRA, A. Newton. A escola, esse mundo estranho. In: PUCCI, B. (Org.). Teoria crítica e educação. In: PUCCI, B. (Org.). Teoria crítica e educação. Petropólis: Vozes, 1995. p.121-138.

POPKEWITZ, T.; LINDBLAD, S. Educational Governance and Social Inclusion and Exclusion: Some conceptual difficulties and problematics in policy and research. Discourse: Studies in the Cultural Politics of Education. v.1, n. 21, p. 5-44. 2000.

POPPER, K. O Mito do Contexto. Em Defesa da Ciência e da Racionalidade. Lisboa: Edições 70. 1996.

PRESTES, N. H. A razão, a teoria crítica e a educação. In: PUCCI, B. Teoria crítica e educação. Petropólis:Vozes, 1995. p.83-101.

SILVA, R. S. da. A Relevância da Epistemologia para o Pensamento Crítico. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, nº 32, p.17-29, Jan-Ab. 2016.

TEODORO, A. Os profesores. Situação profissional e carreira docente. Lisboa: Texto Editora. 1990.

THERBORN. G. La Escuela de Frankfurt. Barcelona: Cadernos Anagrama. 1972

YOUNG, Michael. Teoria do currículo: o que é e por que é importante. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 44, n. 151, p. 190-202, març. 2014.




DOI: https://doi.org/10.24115/S2446-6220201841400p.202-214

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

Esta obra está licenciado com uma Licença CreativeCommons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

ISSN:2446-6220

Indexadores/Indexing

 SEER - Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas *Google Acadêmico * Worldcat - Laplage em Revista * Diadorim * DOAJLatindex *Journal TOCS  *Livre - Revistas de Acesso Livre *Sumarios.org  *Portal de Periódicos CAPES/MEC *Open Academic Journal Index - OAJI *BASE - Bielefeld Academic Research Engine *Portal de Periódicos da UFSCAR *REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) *MIAR- Information Matrix for the Analysis of Journals *Catálogo Colectivo do Reino Unido (COPAC) *ZDB - Catálogo Coletivo (Alemanha) *SHERPA ROMEO - Open Acess to research *Ulrichweb Global Serials Directory *RCAAP -Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal *ERIH PLUS - European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences *ROAD - Directory of Open Acess Schorlay Resources *ISSN - International Standard Serial Number  (international Centre) - CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - Clarivate Analytics (WEB OF SCIENCE)- Edubase (SBU/UNICAMP) - IRESIE - REDALYC