OS FÓRUNS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A INFÂNCIA NO BRASIL

Lisete Regina Gomes Arelaro, Janaína Vargas de Moraes Maudonnet

Resumo


Esse artigo tem como objetivo refletir sobre a atuação dos Fóruns de Educação Infantil na incidência e monitoramento de políticas públicas para a infância no país e seus desafios atuais em um cenário de retrocesso das políticas sociais no Brasil. Para tanto, discute-se as origens dessas instâncias, algumas de suas estratégias de incidência e o modo como vem estabelecendo relação com o Estado.  Também é objeto de discussão os projetos antagônicos de sociedade em que de um lado se crê na descentralização e na  desresponsabilização do Estado e de outro, se defende um projeto democrático popular que compreende descentralização política como possibilidade de articulação de processos decisórios participativos, de controle social e de alargamento do papel do Estado. 


Palavras-chave


Políticas públicas. Fóruns de educação infantil. Educação infantil. Movimentos sociais

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, M. A. Política educacional e planejamento participativo: a experiência dos fóruns itinerantes de educação em Pernambuco. Educação. PUCRS. Impresso, v. 37, p. 201-209, 2014.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO. Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Nota Técnica Conjunta sobre os impactos para a Educação da PEC 241/2016. Nota 1/2016. Disponível em: Acesso em 8 dez. 2016.

BASSI, M. E. Participação social e democratização da gestão pública no município: primeiras ações de governo e a opinião dos gestores. In: PERRELLA, Cileda; CAMARGO, Rubens Barbosa de. (Org.). A escola pública feita por várias mãos. Dimensões criticas da formação de conselheiros. 1ª ed. São Paulo: Xamã, 2015, v. 1, p. 13-30.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada e publicada em 5 de outubro de 1988. São Paulo: Imprensa Oficial, 2001.

BRASIL. Decreto Lei no. 8.869 de 05 de outubro de 2016. Instituí o Programa Criança Feliz. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 06 de out. 2016. Seção 1, p. 2.

BRASIL. Lei nº 13.005/2014. Estabelece o Plano Nacional de Educação (2014/2024). Disponível em https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em 07/12/2016.

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. p. 27894.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Departamento de Políticas Educacionais. Coordenação de Educação Infantil. Política nacional de educação infantil. Brasília, DF, dez. 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. (2012). Educação infantil: subsídios para construção de uma sistemática de avaliação. Brasília, DF: MEC, out. 2012. (Documento produzido pelo Grupo de Trabalho instituído pela Portaria nº 1.147/2011, do Ministério da Educação). Disponível em: Acesso em 08 dez. 2016

CAMARGO, R. B.; BASSI, M. E. Estilo de gestão da educação municipal: implicações para a gestão democrática e o controle social. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 26, p. 287-304, 2010.

CANAVIEIRA, F. O. A educação infantil no olho do furacão: o movimento político e as contribuições da sociologia da infância. Dissertação (Mestrado em Educação) – FE/Unicamp, Campinas, 2010.

CANAVIEIRA, F. O.; PALMEN, S. H. C. Movimentos Sociais e a Luta pela Educação Infantil. In: GEPEDISC, Infância e movimentos sociais. Vários autores, Leitura Crítica, Campinas, SP, 2015.


CARDOSO, Ruth C. L. A trajetória dos movimentos sociais. In: DAGNINO, E. (org.). Anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo, Brasiliense, 1994.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF, 2009b. Disponível em: . Acesso em: 05 dez.2016.

DAGNINO, Evelina. Políticas Culturais, Democracia e o Projeto Neoliberal. Revista Rio de Janeiro, n. 15, jan.-abr. 2005, p. 45- 65.

FLORES, M. L. R. SANTOS, M. O. dos e KLEMANN, V. Estratégias de Incidência para ampliação do acesso à educação infantil. In: Insumos para o debate 2 – Emenda Constitucional nº 59/2009 e a educação infantil: impactos e perspectivas. São Paulo: Campanha Nacional pelo Direito à Educação, p. 43, 2010.

FLORES, M. L. R. Movimentos na Construção do Direito à Educação Infantil: Histórico e Atualidade. Educação (UFSM), v. 35, p. 25-38, 2010.

GIL, I-J.-P. C. Financiamento da Educação e Gestão Democrática: um estudo acerca do Conselho do FUNDEF, no âmbito da União. Tese (Doutorado em Educação). São Paulo: Feusp: 2007.

MIEIB. Educação Infantil: construindo o presente Movimento Interfóruns de Educação Infantil. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2002.

NUNES, D. G. Educação infantil e cultura política: um estudo sobre o movimento interfóruns de educação infantil brasileiro – Miebi. In: Anais do XIX Seminário Latinoamericano de Escuelas e Trabajo Social. Universidad Catolica Santiago de Guayaquil, Ecuador, 2009.

NUNES, D. G. O Movimento Interfóruns de Educação Infantil: a construção de uma identidade cultural e política. 33a Reunião Anual da ANPEd, Caxambu-MG, 2010.

PERRELLA, C. dos S. S. Conselheiro e conselheira de escola em formação: aprendendo e ensinando participação. Curitiba: Editora Appris, 2015.

ROSEMBERG, F. Políticas públicas e qualidade da educação infantil. In: ARTES, A. e UNBEHAUM, S. Escritos de Fúlvia Rosemberg. São Paulo: Cortez, 2015.

ROSEMBERG, F. Organizações multilaterais, Estado e políticas de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115, p. 25-63, 2002.




DOI: https://doi.org/10.24115/S2446-6220201731238p.6-18



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

Esta obra está licenciado com uma Licença CreativeCommons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

ISSN:2446-6220

Indexadores/Indexing

 SEER - Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas *Google Acadêmico * Worldcat - Laplage em Revista * Diadorim * DOAJLatindex *Journal TOCS  *Livre - Revistas de Acesso Livre *Sumarios.org  *Portal de Periódicos CAPES/MEC *Open Academic Journal Index - OAJI *BASE - Bielefeld Academic Research Engine *Portal de Periódicos da UFSCAR *REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) *MIAR- Information Matrix for the Analysis of Journals *Catálogo Colectivo do Reino Unido (COPAC) *ZDB - Catálogo Coletivo (Alemanha) *SHERPA ROMEO - Open Acess to research *Ulrichweb Global Serials Directory *RCAAP -Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal *ERIH PLUS - European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences *ROAD - Directory of Open Acess Schorlay Resources *ISSN - International Standard Serial Number  (international Centre) - CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - Clarivate Analytics